Imprima

No final do século  XIII surgiu em Lieja, na Bélgica, um Movimento Eucarístico cujo centro foi na  Abadia de Cornillon. A partir deste movimento, tiveram sua origem vários costumes eucarísticos, como por exemplo a Exposição e Bênção do Santíssimo Sacramento, o uso dos sinos durante a elevação na Missa e a festa de  Corpus Christi.

Santa Juliana de Mont Cornillon, naquela época priora da Abadia, tinha desde jovem uma grande veneração ao Santíssimo Sacramento e sempre esperava que houvesse uma festa especial em sua honra. Este desejo se intensificou por uma visão que ela teve da Igreja sob a aparência de uma lua cheia com uma mancha negra, que significava a ausência dessa solenidade. Juliana comunicou estas aparições ao então bispo de Lieja, e, mais tarde, ao Papa Urbano IV.

O bispo Roberto convocou um sínodo em 1246 e ordenou que a celebração fosse feita no ano seguinte. A festa foi celebrada pela primeira vez em 1247 na quinta-feira posterior à festa  da Santíssima Trindade.

O Papa Urbano IV, em razão do milagre eucarístico ocorrido em Lanciano (Itália) e também pela petição de vários bispos, determinou que a festa se estendesse por toda a Igreja, fixando-a para a quinta-feira depois da oitava de Pentecostes e outorgando muitas indulgências a todos que assistissem à Santa Missa e Ofício.

Finalmente, o Concílio de Trento determinou que, a cada ano, a Igreja celebrasse a solenidade do Corpo de Cristo com procissão pelas ruas e lugares públicos. Nisto, os cristãos expressam sua gratidão por tão inefável e verdadeiramente divino sacramento, no qual se faz novamente presente a vitória sobre a morte na ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo.

 Escrito por: Eliana Galván Gil
ORIGEM DA FESTA DE CORPUS CHRISTI