Conhecendo Santa Faustina

Santa Faustina Kowalska conhecida no mundo inteiro como apóstola da Misericórdia de Deus

Santa Faustina Kowalska conhecida no mundo inteiro como apóstola da Misericórdia de Deus, nasceu em 1905 na Polônia, no batismo recebeu o nome de Helena. Desde a sua infância se distinguiu pela piedade, amor e oração e uma grande sensibilidade as misérias humanas.

Aos sete anos sentiu vivamente o chamado do Senhor, mais tarde manifestou o desejo de entrar na vida religiosa, mas seus pais não lhe deram permissão.

Após a decisão de entrar em um convento, bateu muitas portas de casas religiosas e em nenhuma delas era admitida, por fim em 1925 (com 20 anos) foi aceita começando o postulado na congregação das irmãs de Nossa Senhora da Misericórdia, onde recebeu o nome de irmã Faustina.

Tendo desde muito nova o desejo de amar a Jesus e colaborar na obra da salvação das almas, cumpria suas funções serena e silenciosa e se concentrava em uma união cada vez mais plena com Deus.

E o diário nos revela toda esta profundidade de vida espiritual, e o alto grau de união com Deus.

O diário foi escrito nos últimos quatro anos de sua vida.

Irmã Faustina oferece sua vida pela conversão dos pecadores

Passando por diversos sofrimentos, socorrendo assim as almas. Fisicamente esgotada, embora plenamente madura em seu espírito, misticamente unida a Deus, acabou por falecer em fama de santidade em 05/0ut/38 com apenas 33 anos e 13 de vida religiosa.

Alguns anos antes de falecer…

1935 – Jesus ensina irmã Faustina a rezar o terço da misericórdia e pede que ela prepare a Festa da Misericórdia através de uma novena. Primeira exposição pública do quadro de Jesus Misericordioso. A irmã Faustina celebra privadamente a Festa da Divina Misericórdia.

1993 (18 abril) em Roma, no segundo domingo da Páscoa, a irmã Maria Faustina Kowalska foi beatificada pelo Santo Padre João Paulo II.

Em 1995 em Roma o papa João Paulo II celebra pela primeira vez a Festa da Divina Misericórdia

2000 (30 abril) também no segundo domingo da Páscoa, Faustina á canonizada por João Paulo II, que instituiu o * Domingo da Misericórdia *, devendo ser celebrado na Igreja em todo o mundo.

Porque após a Páscoa?

A escolha do primeiro domingo depois da páscoa tem o profundo sentido ao mostrar a estreita união que existe entre o mistério Pascal da Redenção e o mistério da Misericórdia Divina.

Tempo de alegria e graça representado por Jesus Ressuscitado que traz aos homens a paz pela remissão dos pecados, pelo preço da sua dolorosa paixão e morte na cruz. Os raios do Sangue e da Água que brotam do Coração, transpassado por uma lança, e as cicatrizes das Chagas da crucifixão relembram os acontecimentos da Sexta-feira Santa.  A imagem de Jesus misericordioso une então, estes dois acontecimentos evangélicos que mais plenamente falam sobre o amor de Deus para com o homem.  

Os dois raios significam os sacramentos e todas as graças do Espírito Santo, cujo símbolo bíblico é a água, e também a Nova Aliança de Deus com o homem, feita no Sangue de Cristo.

(Diário de Santa faustina)

Escrito por: Pastoral da Misericórdia da Paróquia São José do Ipiranga