Cordão de São José


A devocáro do cordão de São José surgiu no século XVII, em Atuérpia, na Bélgica, no convento das agostinianas da cidade de Anvers. Nesse convento das agostinianas havia uma religiosa chamada Sóror Isabel de Sillevorts, que estava sofrendo do “mal da pedra”(cálculos renais) e todos os recursos da medicina de então de nada lhe serviam. Confiante no patrocínio do glorioso São José, a citada religiosa pediu ao sacerdote que benzesse um cordão, o qual colocou em sua cintura, abandonando os métodos terapêuticos e iniciando uma novena ao grande Patriarca. No dia 10 de julho de 1649, quando a doente fazia ao Santo as suas súplicas, de repente viu-se de um cálculo de desproporcionado tamanho, ficando, completamente, curada. O acontecimento repercutiu em toda a cidade, servindo para consolidar em seus habitantes a devoção a São José. Em 1842, por ocasião dos piedosos exercícios do mês de São José, esse fato foi publicado na Igreja de São Nicolau, em Verona (Itália), e muitos doentes, cingindo o cordão bento, obtiveram a cura por intercessão do Santo. Hoje o cordão de São José é autorizado pela Santa Sé, tanto para devoção privada como para prática pública e solene. Permitiu ainda a fundação de confrarias e arquiconfrarias de cordão de São José. O Papa Pio IX enriqueceu-a com indulgências. 

INDULGÊNCIAS PELO USO DO CORDÃO Dias nos quais se lucram indulgências plenárias trazendo consigo o cordão: 

  • no dia do recebimento do cordão; 
  • no Natal (25/12); 
  • na festa de Nossa Mãe de Deus e Circuncisão (1/1);
  • na festa de Reis (6/1);
  • na festa da Páscoa de Corpus Christi; 
  • na festa do Sagrado Coração de Jesus;
  • na festa de São José (19/3); 
  • na festa dos Esponsais de São José Operário (1/5);
  • na festa da Assna festa do Imaculado Coração de Maria (22/8);
  • unção de Nossa Senhora (15/8);
  • em perigo de morte.

CONDIÇÕES PARA GANHAR AS INDULGÊNCIAS PLENÁRIAS:

  1. confissão;
  2. comunhão;
  3. um Pai Nosso, uma Ave Maria e um Glória ao Pai, nas intenções do Santo Padre o Papa.

REQUISITOS PARA USO DO CORDÃORezar diariamente sete Glórias ao Pai, em honra das sete dores e das sete alegrias de São José.ORAÇÃO:Glorioso São José, pai e protetor das virgens, guarda fiel a quem Deus confiou Jesus Cristo, a própria inocência, e Maria, a Virgem das virgens; eu vos peço e rogo por Jesus e Maria, esse dúplice depósito que vos foi tão querido, que façais que eu, livre de toda manha, com a alma não contaminada, o coração puro e o corpo casto, sirva a Jesus e Maria. Assim seja.

MODO DE USAR E BENEFÍCIOSO Cordão de São José, desde que esteja devidamente bento, pode ser usado do seguinte modo:

  1. Cingido à cintura, por sobre a roupa ou bem guardado, para em ocasiões de dores e sofrimentos físicos aplicá-los com fé e confiança na parte doente do corpo, como costumamos fazer com as medalhas do Senhor Bom Jesus e de Nossa Senhora, rezando então a São José sete Glórias ao Pai.
  2. Quem usa habitualmente o Cordão de São José tem a graça da boa morte.
  3. Quem o traz constantemente consigo tem a proteção, especialmente na guarda e defesa da sublime virtude da castidade, em qualquer dos seus graus e categorias.
  4. É de efeito surpreendente para as gestantes, que o levam cingido, protegendo-as em perigo de aborto, nos partos difíceis etc, como o atestam centenas de fatos.
  5. Também pode ser usado das seguintes formas: no carro, nos livros escolares, na carteira de documentos, na carteira de motorista, no travesseiro etc. Pode também ser colocado na cabeceira do doente e no punho. As pessoas que usam, habitualmente, o Cordão de São José terão a graça da boa morte. Aqueles que o trazem consigo, constantemente têm a proteção, especialmente, na guarda e na defesa da sublime virtude da castidade, em qualquer de seus três graus e categorias.