Imprima
Celebrar o coração de Cristo é celebrar a Redenção


O coração representa o ser humano na sua totalidade. Ele é o centro original da pessoa humana, e dele recebe a unidade. Segundo Karl Rahner, o coração é o centro de nosso ser, a fonte de nossa personalidade, o motivo principal de nossas atitudes e escolhas, e o lugar da misteriosa ação de Deus.

O coração é o símbolo do amor e, porque Cristo teve um amor perfeito, seu coração é para nós o símbolo perfeito do amor. Seu coração esteve pleno de amor perfeito para com o Pai e para com os homens. Nós aprendemos o que é amor quando tentamos compreender e viver algo do amor de Cristo.

O Papa São João Paulo II, na sua primeira Encíclica, Redemptor hominis, escreveu: “A redenção do mundo – esse tremendo mistério de amor onde a  Criação se renova – é na sua raiz mais profunda a plenitude da justiça em um coração humano, o coração do Filho Primogênito, para que possa ser justiça no coração de muitos seres humanos, chamados desde a eternidade em Jesus Cristo a serem Filhos de Deus”.

O lado ferido, o lado fecundo de Cristo

Celebrar o Coração de Jesus é celebrar a redenção, é celebrar o amor e responder ao amor amando – esse amor que tantas vezes não é amado. “O coração fala ao coração”, afirmava São João Paulo II ao se referir à devoção ao Coração de Jesus como expressão e colóquio de amor. Celebrar o coração de Jesus é celebrar o sacramento do amor salvífico do Pai.

Assim, lemos no Prefácio da Missa do Sagrado Coração: Jesus, elevado na cruz, fez que da ferida do seu lado brotassem, com a água e o sangue, os sacramentos da Igreja, para que, nos aproximando do coração aberto do Salvador, todos pudéssemos beber das fontes da Salvação.

 

tradução livre do texto de www.mercaba.org, por Eliana Galván Gil

O CORAÇÃO É O SÍMBOLO DO AMOR